quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Aventura

Pousou um pássaro na janela
e ele cantava para mim
na minha janela amarela
me entoava os seus segredos
E a narrativa começava assim
ó menina esquece os medos
porque eu vim la do sul
eu preciso de água e fruta
e na cantiga do pássaro azul
um buraco ou uma gruta
qualquer toca para decansar
pois amanhã volto a viajar
porque minha vontade não tem cura
e o pássaro insistia sim
naquele desejo de aventura
cantando suas histórias sem fim.

Guerreira Xue


terça-feira, 2 de agosto de 2016

Lindolfo, Madalena e Marco Continuação de Era uma vez na Toscana

“Alguns caminhos da vida nos levam invariavelmente, a encontros inusitados, e não pense que somos imunes ou ilesos de sentirmo-nos impotentes diante de certas situações. A exemplo disso faça um teste, diga ao seu coração, o que ele deve ou não sentir, para constatar de imediato a sua desobediência”.
A viagem pela Toscana que seria de quinze dias, acabou por se prolongar por quase dois meses, pois Lindolfo não queria deixar Madalena, não até ela dizer sim, para o casamento de ambos. Quando ela finalmente concordou Lindolfo tratou de voltar logo e “comunicar” a família sua decisão de casar-se novamente.  Só de imaginar a cara de seus filhos Lindolfo já se ria, e saber que tinham um irmão mais velho então, seria uma comoção!
Ele mesmo ainda estarrecia com tal situação. Marco herdara o nome do avô materno, o que combinava muito com sua cor e temperamento latinos. Ao conversarem ele sabia quem era Lindolfo, desde o primeiro encontro. Mas confessou estar curioso em conhecer esse “pai” surgido do mundo, e caído de paraquedas nas suas vidas.

_Queria ter estado presente desde o inicio, me desculpe. Disse Lindolfo humildemente. _Eu não sabia. Pensava estar fazendo o certo naquela época, mas o destino tinha outra ideia, e escreveu outro caminho para nós..
Marco olha para aquele senhor, um estranho que aos poucos vai tomando forma e característica, na sua visão. É difícil esquecer a solidão da infância. A mãe esforçava-se para suprir sua falta de pai, mas ver os amiguinhos com os pais no passeio o fazia triste por não ter o seu. Desde menino ele soube quem o pai era, e que talvez um dia ele viesse, a saber, de sua existência.
Quando Marco chorava por não ter um pai, a mãe logo o consolava dizendo; _Voce tem pai sim Marco, e saiba, você foi feito com o maior amor do mundo. Por isso que te adoro tanto.
Aquilo era um conforto para o garoto, e ainda tinha o tio José!
_Lo zio Giuseppe, fratello di mia madre, mi ha aiutato molto.


O mais interessante é não haver mágoa, ou rancor de ambas as partes, em relação a Lindolfo. ele sentia sim uma aceitação do inevitável por parte de Madalena e Marco. Algo como se fosse um presente do destino, para os três. Ambos agora uma oportunidade. Lindolfo resolveu contar sua parte da vida então. Era justo saberem o porquê de sua renúncia.

_ Eu não pude ficar com Madalena e sofri um bocado na época por causa disso. A minha mãe doente era completamente dependente. Eu só pude fazer o intercambio, no México, porque tinha sido sorteado com uma bolsa de estudos. A minha madrinha, com pena de mim, prometeu cuidar de minha mãe durante o  meu curso.
Madalena era moça de família rica, e para mim foi um sonho viver aqueles meses em sua companhia. Quantas vezes eu pensei em leva-la comigo, mas achava a minha realidade triste, para dividir com ela.  “Que tinha eu a oferecer-lhe?” Então não havendo alternativa, voltei para casa. Minha mãe não tinha ninguém, só a mim, e eu sabia que não podia oferecer nada de concreto a Madalena. O jeito foi abrir mão daquele sorriso, do olhar, dos abraços...

A mãe do Lindolfo tinha depressão crônica, o pai os abandonara assim que descobriu o mal da esposa. O cabrão até quis levar o filho junto, mas Lindolfo não teve coragem de abandona-la, e assim ficou do lado da mãe, até o seu último suspiro.

Lindolfo trabalhava com arquitetura para uma empresa cuja matriz é sediada em Espanha. E quando a madrinha não podia ficar com sua mãe durante o dia, a Matilda, uma amiga de infância e vizinha de porta, cuidava que não faltasse nada na cabeceira da mãe, que muito pouco saia da cama.
O casamento acabou por acontecer naturalmente com Matilda, porque ela estava sempre por perto, apoiando e incentivando Lindolfo.
Quando a mãe faleceu, alguma coisa quebrou entre o casal, e não importava o que fizessem ou dissessem, mudou. Um dia Matilda resolveu pedir o divórcio, Lindolfo ficou indeciso num primeiro momento, mas ao ponderar melhor achou por bem dar-lhe a liberdade. Talvez Matilda tenha mesmo se casado com ele para não deixa-lo sozinho. O que Lindolfo não contava, é que agora ele estava realmente sozinho.
Abrir o coração com Madalena e Marco foi dolorido para Lindolfo: “fui sincero e minha Madalena finalmente me aceitou”.

Depois de tomar banho, desfazer as malas, Lindolfo pega o telefone de liga para os filhos.
A Toscana é Maravilhosa! E convida-os para o almoço no dia seguinte, sábado. Chamou também a faxineira, pois queria a casa brilhando para quando seu amor chegar.
Ao desligar o telefone Lindolfo sentia-se o homem mais feliz do mundo. Talvez não seja fácil arrumar isso, mas ele vai tentar. Seja lá ou cá, ou cá e lá...  Lindolfo e Madalena finalmente vão se casar.

Guerreira Xue




sábado, 30 de julho de 2016

Era Uma Vez Na Toscana, continuação de Amor de além Mar

Madalena estava embrenhada  na papelada burocrática quando a secretária a interrompe.
_Telefono sulla linea uno, Magdalene.
_Rispondo ora, grazie Ana. Magdalene a parlare.
_Olá Madalena, é Lindolfo. Um silêncio no outro lado da linha...
_Olá Lindolfo, como vai? Quantos anos homem! Como voce me achou?
_Estou bem obrigada e voce? Bastante anos realmente. Estou em Florença querida, então não foi problema encontra-la, o difícil é falar-te agora.
_ Acredito Lindolfo, pois sinto a mesma coisa. E eu não poderia estar mais surpresa.
_Pensei se podíamos nos ver e conversar. Que tal um jantar aqui no Hotel?
_Quando?
_Hoje!
_Pode ser amanhã? Porque hoje saio tarde, eu tenho uma reunião daqui a pouco. Então combinaram dessa maneira.
Madalena por sua vez não tinha compromisso algum, pois quase caíra de susto ao ouvir a voz de Lindolfo..."Que vou dizer-lhe”?
“Quanto eu esperei e chorei por esse homem, e agora ele vem!” Tinha que se acalmar agora...""que diabo é isso, eu não tenho mais vinte anos".
No dia seguinte na hora marcada estavam os dois lá, frente a frente. Ele aparentava calma quando cumprimentou-a cordialmente, e  convidou a para sentar-se.
Ela estava mesmo a vontade e linda.   _ Estás tão bonita como eu me lembrava.
_Obrigada, voce também mudou muito pouco.
_Deixe de graça, mudei sim e bastante. Mas me sinto bem, isso é o que importa.
_Por que estás em Itália Lindolfo? Ele a olha fixamente.
_ Porque você acha que seria, para ver voce e isso é mais que evidente. Achei seu endereço no "nosso" livro, mas deixemos isso, por enquanto quero aproveitar esse jantar estupendo com voce, depois vamos ao cinema Odeon. Já reservei ingressos. E Madalena retruca a seguir;  _ Então o vinho é por minha conta, faço questão. E dirigindo -se ao atendente:
_ Genaro per favore, portami vino delle nostre uve
_Sì signorina.
Lindolfo percebe que ela não traz nenhum anel ou aliança de compromisso, mas mesmo assim dispara:
_ Voce é casada?  _ Não, eu tenho um filho Lindolfo, porém preferi ficar solteira. E voce?
_ Eu já fui casado, estou divorciado no momento. Tenho dois filhos e um neto já.
E o jantar transcorre agradável e cada um vai contando um pouco de si...
Depois vão ao cinema, e ao despedir-se combinam novo encontro, e outro e mais outro...
Um dia Madalena convida Lindolfo para jantar em sua casa, pois o filho chegaria de férias do Canadá.
Estavam os dois instalados confortavelmente bebericando vinho, quando o rapaz entra na sala.  Ao cumprimenta-lo, Lindolfo já sabia...
_Ele é meu filho Madalena, e voce o criou sozinha.
_ Sim é seu filho, mas eu não criei sozinha, saiba que tenho uma família enorme, e me deram muito apoio.
_Porque não me contou naquele dia?
_ Eu não sabia Lindolfo. E quando soube, não tinha como te encontrar. Minha esperança era voce me procurar. E agora aconteceu finalmente, voces dois terão a oportunidade de se conhecerem. Penso que “hoje” a Itália já não fica tão longe. Disse Madalena suavemente.
Lindolfo não saberia explicar o que sentia naquele instante, só sabia que tinha mais um filho adulto, e com Madalena.
_Foi por isso que voce nunca casou, por ser mãe solteira?
_ Não Lindolfo... Sei lá... Sou difícil.
_ Não é mesmo.
E ela não era. E Lindolfo estava ali, diante dela depois de 30 anos de ausência, pedindo...
_Casa comigo?
_Por quê? Não me diga que é por causa de nosso filho vá, pois ele já está bem grandinho e se sustenta sozinho.
_Para ficarmos juntos.
_ Não! Lindolfo ficou calado, pois sabia que merecia aquele não, e os tantos outros que se seguiram, mas agora tinha certeza, que queria Madalena, e não ia desistir dela, não dessa vez.
Guerreira Xue























 Image Tomasz Wieczorek
https://www.facebook.com/tomasz.wieczorek.773?fref=ts